Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 20 de julho de 2009

O Luar quando Bate na Relva
O luar quando bate na relva
Não sei que cousa me lembra...
Lembra-me a voz da criada velha
Contando-me contos de fadas.
E de como Nossa Senhora vestida de mendiga
Andava à noite nas estradas
Socorrendo as crianças maltratadas ...
Se eu já não posso crer que isso é verdade,
Para que bate o luar na relva?
Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XIX" Heterónimo de Fernando Pessoa

5 comentários:

SANDRA RIBEIRO disse...

ola amiga
passei para desejar uma optima semaninha
beijokas
(^-^)

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo, Bel. O bom gosto de sempre.
Feliz dia do amigo, ainda que atrasado, e boa semana.
Beijos,
Renata

Tintas linhas e manias disse...

Beijinhos Sandrita e Renatita.
Isabel Alves

APO (Bem-Trapilho) disse...

olá amiga!
muito lindas mesmo estas palavrinhas do Alberto Caeiro.
bjos grandes e um feliz fim de semana.

SANDRA RIBEIRO disse...

Ola amiga
., . - . - , _ , .
.) ` - . .> ' `(
/ . . . .`\ . . \ Vim te oferecer uma rosa
|. . . . . |. . .|
. \ . . . ./ . ./
.. `=(\ /.=` toda perfumada
.... `-;`.-'
......`)( ... , para aromatizar
....... || _.-'|
........|| \_,/ o fim de Semana...
........|| .*´¨)
¸.•´¸.•*... ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` *
*´¨) мιℓ вєιנoѕ♥*♥
¸.•´¸.•*... ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` **♥*♥